top of page

Novidade em bairros, lavanderias self-service atraem quem mora em apartamento

Lavar e secar um cesto de roupas com cerca de 20 peças custa em média R$ 40 na Capital

Por Caroline Maldonado e Cleber Gellio | 14/06/2022 11:24 - CAMPO GRANDE NEWS


Cliente coloca roupas no cesto na Lavanderia Sem Varal, no bairro Rita Vieira.

(Foto: Marcos Maluf / Campo Grande News)


Enquanto a máquina lava as roupas, alguns trabalham, outros fazem compras e há até quem aproveite uma música ao vivo bebendo com os amigos. Aos poucos, as lavanderias de autoatendimento, também chamadas self-service, ganham espaço em Campo Grande.


A novidade é que os bairros mais afastados do Centro estão entrando nos planos dos empreendedores que apostam em franquias ou montam o próprio negócio em busca de regiões com muitos condomínios de apartamentos.


Há, pelo menos, seis lavanderias com esse tipo de serviço na Capital. Lavar e secar um cesto de roupas com aproximadamente 20 peças custa em média R$ 40. A maioria dos clientes são casais jovens, idosos, mas o público vai se diversificando conforme o bairro conhece o serviço, segundo a proprietária da lavanderia Sem Varal, Gislaine Landvoigt.


Ela abriu o negócio junto ao esposo, João Paulo Capelari, há pouco mais de um mês, no bairro Rita Vieira.

“No bairro é uma inovação. Aos poucos, os moradores vão sentindo confiança e aprendendo a usar as máquinas. É um conceito que vem dos Estados Unidos. No começo, o pessoal fica ressabiado, mas a gente faz vídeos e tem muitas informações no local para que a pessoa chegue, se sinta à vontade e aprenda a usar as máquinas”, conta Gislaine.

Proprietários da Lavanderia Sem Varal,

Gislaine Landvoigt e João Paulo Capelari,

abrem a loja, mas não ficam no local durante o dia.

(Foto: Divulgação/Sem Varal)


O casal escolheu o bairro Rita Vieira para abrir a lavanderia com três máquinas lavadoras e três secadoras, porque a região está em expansão, abrigando novos prédios e estabelecimentos.


Os dois já pensam em expandir, abrindo uma franquia. Eles garantem que além de praticidade, lavar e secar no autoatendimento representa economia e as roupas saem prontas para por no armário, exceto as camisas e alguns tipos de tecido que precisam ser passados.


Temos todo tipo de público. Tem idosos que deixam a roupa para lavar e vão ao mercado, depois voltam e colocam para secar e vão ao sacolão. Há mães que deixam as roupas e vão levar os filhos à escola. Na sexta-feira, já deixamos aberto até meia-noite para dar conta, porque o pessoal fica na conveniência ouvindo música e bebendo, enquanto a roupa é lavada”, detalha Gislaine. A lavanderia funciona das 7h às 22h, de segunda à sexta e das 7h às 21h aos sábados, domingos e feriados.


Na outra ponta da cidade, o bairro São Francisco foi escolhido pela artista plástica Lúcia Maria Pereira, que resolveu empreender por meio de franquia, durante a pandemia. Há um ano, ela abriu a lavanderia Laundrexpress, na avenida Mascarenhas de Moraes, ao lado de um posto de combustíveis e uma chopperia.

Lavanderia Laundrexpress, na avenida Mascarenhas de Moraes, no bairro São Francisco

(Foto: Divulgação/Laundrexpress)


Como funciona - Das 20 lavanderias encontradas em Campo Grande, pelo menos seis oferecem também o autoatendimento ou são completamente self-service.


O valor é cobrado por cesto de roupas de uso diário, que comportam em torno de 20 peças. Em algumas lavanderias é possível lavar também roupas de cama e banho, mas cada uma tem suas regras. Para lavar vão até 35 minutos e para secar até 45 minutos, mas é outra coisa que varia conforme a lavanderia e o tipo das roupas.


No autoatendimento, o cliente paga, põe a roupa na lavadora, espera 25 minutos ou mais e precisa tirar a roupa e colocar na secadora.

Cliente paga por serviço de lavagem em Totem autoatendimento Vendpago com aplicativo Payblu

(Foto: Marcos Maluf)


Preços - Na lavanderia Sem Varal, na galeria Rita Vieira, a lavagem sai por R$ 20 e secagem R$ 20. No São Francisco, a Laundrexpress cobra R$ 17,50 por cada lavagem ou secagem.


Na avenida Bom Pastor, no bairro Vilas Boas, a Lave Use cobra ao todo R$ 40 para lavar e secar, desde 2017. Quem prefere deixar e pegar depois as roupas dobradas e ensacadas paga R$ 52.


Nas lavanderias que oferecem também o serviço convencional, muitas vezes os clientes chegam buscando autoatendimento, mas acabam preferindo deixar as roupas.


Na OMO Lavanderia, que fica na Euclides da Cunha, no Jardim dos Estados, lavar e secar o cesto sai por R$ 40, mas é possível deixar para retirar depois por R$ 50.


A lavanderia está aberta há um ano. As pessoas procuram bastante o autoatendimento, mas quando digo que eu faço, muitos acabam deixando em função da comodidade. É por agendamento e entregamos no dia seguinte. Às vezes conseguimos entregar no mesmo dia”, conta a proprietária da OMO, Daniela Caramalac.


No Comper Jardim dos Estados, na Avenida Ceará, a lavanderia Express foi aberta há dois anos. Lavar e secar custa R$ 50. “Temos ideia de abrir mais uma lavanderia, mas estamos estudando bairros que estão crescendo com muitos apartamentos”, revela o proprietário Valdeck de Souza.


No Centro, a lavanderia Lavô, na Rua 15 de Novembro anuncia preço de R$ 14,00 para lavagem ou secagem.



Cliente entra em lavanderia que oferece self-service

(Foto: Marcos Maluf)



コメント


bottom of page